Queríamos ver a Jesus

“Ora, havia alguns gregos … estes, pois, dirigiram-se a Filipe … e rogaram-lhe, dizendo: senhor, queríamos ver a Jesus” (Jo 12:20, 21).

O Senhor Jesus sempre chamou a atenção por onde passava, fosse dos que O odiavam, fosse dos que O amavam. Não é de se admirar, portanto, que alguns gregos quisessem vê-lO. E quem não desejaria também? Se enquanto Ele andou neste mundo havia tantos que queriam, ao menos, vê-lO, quem dirá hoje, quando Ele não pode ser visto fisicamente! Um detalhe interessante, porém, que notamos nestes versículos é que, apesar do desejo dos gregos, eles não foram diretamente ao Senhor para vê-lO, mas dirigiram-se a um dos que sempre andavam com Ele. Filipe era um dos doze, e, portanto, tinha acesso direto ao Senhor. Ele seria um meio pelo qual os gregos chegariam ao Senhor Jesus.

Há fartura de lições que podemos aplicar deste breve relato, mas considere uma delas. Há muitas pessoas que desejam, ainda hoje, ver o Senhor. São pessoas que realmente precisam dEle. O problema é que estas pessoas não sabem como se dirigir a Ele diretamente. Será que você não pode ajudá-las? Pela sua comunicação, conduta e comunhão você pode ajudar muita gente a se encontrar com o Senhor. Veja alguns exemplos.

Na Comunhão.

Repare bem, Filipe era um dos doze que andavam diariamente com o Senhor, por isso os gregos se dirigiram a ele. Havia muita gente que acompanhava o Senhor Jesus nas suas jornadas, mas os gregos foram a um que ouvia as Suas palavras e tinha acesso direto à Sua Pessoa. Isto nos ensina que aqueles que têm estado em comunhão diária com o Senhor serão os mais capacitados a falar dEle. Será que as pessoas ao olharem para você andando na rua, conversando na Escola ou cumprindo seu horário no trabalho podem reconhecer que você “havia estado com Jesus” em alguma hora daquele dia (At 4:13)? Lembre-se que se os homens não podem ir diretamente a Cristo, eles virão aos que se encontram mais perto dEle. Você é um destes? Para os que pregam o Evangelho publicamente (ou particularmente), nada dará mais força à mensagem do que a comunhão com o Salvador a Quem se prega. Se o pregador não está disposto a usar tempo no seu dia para estar na presença do Salvador orando e meditando na Sua Palavra, como terá condições para sair e anunciá-lO aos outros? A comunhão é indispensável para a pregação!

Na Comunicação.

Quando você prega o Evangelho, a respeito de quem você fala? Você está “anunciando a Jesus Cristo” (At 5:42)? Lembre-se que os seus ouvintes querem “ver a Jesus” na sua mensagem. Infelizmente, muito tempo de pregação que deveria ser usado na divulgação do Evangelho de Cristo tem sido usado na divulgação de ilustrações que servem apenas para “ocupar o tempo” e fazer a fama do pregador. O Evangelho não é um meio de propagar o pregador; é um meio de se propagar a Cristo. Quando a igreja em Antioquia começou (e outro grupo de gregos ouviu o Evangelho) os pregadores entraram “anunciando o Senhor Jesus” (At 11:20). Esta deve ser a ocupação de toda pregação do Evangelho. Seja falando sobre a ira de Deus, Seu amor, Sua justiça ou Sua graça, Cristo deve estar como princípio meio e fim da pregação; todos os assuntos devem girar em torno dEle. Você tem anunciado o Senhor Jesus?

Na condura.

E quanto à sua vida, tem falado de Cristo? Embora o mundo não veja o Senhor Jesus, nem mesmo pelos “olhos da fé”, você pode anunciá-lO pela sua conduta. Quando as pessoas olham para você, elas podem “ver” o Senhor Jesus na sua vida? A sua maneira de se comportar diante dos descrentes é parte vital na divulgação do Evangelho. De nada valerá a um pregador eloqüente se ele vive vergonhosamente. Alguém já disse: “Se a minha vida não for condizente com a minha mensagem, a minha mensagem será tão infrutífera quanto a minha vida.” Pregar sobre o Senhor Jesus e não vivê-lO é tão desastroso quanto lançar uma rede furada ao mar – nenhuma alma será apanhada!

Enfim, pregador, na sua comunhão, comunicação e conduta você deve mostrar a Jesus!

A. J. Anthero

 


Estudos Bíblicos