10 Pontos de Contraste Entre a Bíblia
e a Tradição Católica

Não disse Jesus:
“Santifica-os na verdade, a Tua palavra, mais a santa tradição eclesiástica, é a verdade”. (?)

O que REALMENTE disse Jesus:
“Santifica-os na verdade, a Tua palavra é a verdade” (João 17:17).

(1) A Bíblia ensina que o ofício de bispo e presbítero é igual para ambos (Tito 1:5-7), mas a tradição diz que são ofícios diferentes.

(2) A Bíblia ensina que a Igreja foi fundada sobre os profetas e apóstolos, sem destacar Pedro como superior aos demais (Efé. 2:20), mas a tradição quer que creiamos ter sido Pedro realmente designado acima de todos os seus companheiros apostólicos, e cabeça de toda a Igreja.

(3) A Bíblia ensina que todos pecaram, exceto Jesus (Rom. 3:10-12; Heb. 4:15), mas a tradição afirma que Maria, mãe de Jesus, era sem pecado.

(4) A Bíblia ensina que Cristo ofereceu seu sacrifício de uma vez por todas (Heb. 7:27; 9:28; 10:10), mas a tradição repete o sacrifício de Cristo por meio do sacerdote na missa, sobre o altar.

(5) A Bíblia ensina que não devemos nos inclinar diante de imagens ou estátuas (Êx 20:4, 5), mas a tradição defende a idéia de que devemos nos curvar diante delas.

(6) A Bíblia ensina que devemos observar como dia do Senhor o sábado do sétimo dia (Êxo. 20:8-11), mas a tradição estabeleceu que o domingo é o dia a ser observado.

(7) A Bíblia ensina que todos os cristãos são santos e sacerdotes (Efé. 1:1; 1 Ped. 2:9), mas a tradição sustenta que os santos e sacerdotes pertencem a uma classe dentro da comunidade cristã.

(8) A Bíblia ensina que Jesus é o único Mediador entre Deus e o homem (1 Tim. 2:5), porém a tradição afirma que Maria é co-mediadora com Cristo.

(9) A Bíblia ensina que as obras humanas não contêm méritos que acrescentem nada à experiência de salvação, sendo o homem salvo unicamente pela fé (Efé. 2:8, 9; Rom. 3:20),  mas a tradição acentua o valor das boas obras como sendo também aceitáveis a Deus para efeito da salvação.

(10) A Bíblia ensina que os mortos nada sabem, pois não louvam ao Senhor, estando em total inconsciência e silêncio na morte (Ecl. 9:5, 6; Sal. 115:17), mas a tradição ensina a imortalidade da alma e a possibilidade de os santos atenderem orações dos seus devotos.

Prof. Azenilto G. Brito
Ministério Sola Scriptura

 


Estudos Bíblicos