Consideração

(2ª Timóteo 1:8; Hebreus 12:1-3)

Introdução

Vivemos em dias tão difíceis onde o mundo vai de mal a pior, onde as pessoas não querem saber de Deus, onde o evangelho é desprezado, onde a palavra de Deus é desconsiderada. Os cristãos deveriam ser a diferença, como o Senhor Jesus disse, "o sal da terra" e a "luz do mundo", mas na realidade, quando olhamos para o cristianismo de hoje, ficamos decepcionados.

Os cristãos desse século não tem mostrado essa diferença, antes, tem se misturado com o mundo, vivendo nas mesmas práticas que outrora viviam, quando eram ímpios. Falta compromisso com o evangelho de Cristo, falta compromisso com a sua igreja (os irmãos), e com a sua própria pessoa.

Gostaria de dividir este estudo em três pontos, a saber:

I - Considerar ao Evangelho;

II – Considerar aos Irmãos;

III – Considerar a Jesus Cristo.

I. Considerar ao Evangelho

Paulo disse a Timóteo na sua segunda carta, capítulo 1 e versículo 8, as seguintes palavras: "antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus". Apesar de Timóteo ser jovem, ele tinha uma grande responsabilidade em relação ao evangelho; mesmo não tendo o dom de evangelizar, teria que fazer a obra de um evangelista. Observe o que diz em 2 Timóteo 4:5: "mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista". No capítulo 2 e no versículo 3, Paulo disse: "sofre, pois, comigo, as aflições, como um bom soldado de Jesus Cristo". No capítulo 3, versículo 11, ele fala de suas aflições que aconteceram em Antioquia, em Icônio e Listra, e, no versículo 12, ele diz que aquele que quiser viver piamente em Cristo padecerá perseguições. Timóteo deveria ser diferente em todos os aspectos, observe as expressões: "Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus" (2:1). "Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, amor, paciência." (3:10). "Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido." (3:14). "Tu, guarda-te dele, porque resistiu muito as nossas palavras," (4:15). Timóteo deveria estar disposto a enfrentar as adversidades por causa do evangelho, e por amor do mesmo. Mas Paulo o lembra que o Senhor lhes havia dado um "espírito não de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação", (1:7). Timóteo deveria militar, legitimamente, para o seu Senhor, e não se deixar embaraçar com os negócios dessa vida (2:4-5). Esse é um dos maiores problemas dos Cristãos deste século, e creio que de todos, ou seja, "os negócios" dessa vida, que servem de obstáculos para o cristão servir a Cristo. O escritor aos hebreus disse que devemos deixar todo o embaraço (obstáculo) e todo o pecado que tão de perto nos rodeia, pois, a "nuvem de testemunha" também nos rodeia, e devemos estar testemunhando a esta.

Muitos cristãos não tem tempo de evangelizar, pois o trabalho, os estudos, as diversões e outras coisas legítimas tomam o seu tempo, e acabam deixando de lado esse grande privilégio, que é o de evangelizar.

Que o Senhor possa estar nos dando sabedoria para remir o nosso tempo, e lavar muitas almas aos pés de Cristo.

Paulo disse a Timóteo: "Considera o que digo" (2:7). Paulo disse que sofria prisões e trabalhos, mas a palavra de Deus não estava presa (2:9). Ele diz em 2:10: "Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna". No capítulo 1 e versículo 12, ele disse: "Por cuja causa padeço (por pregar o evangelho), mas não me envergonho". Ele escreveu aos romanos, capítulo 1 e versículo 16, o seguinte: "Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crer". E nos versículos 14 e 15, ele disse: "Eu sou devedor, tanto aos gregos como aos bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes. E assim, quanto está em mim, estou pronto para também vos anunciar o evangelho, a vós que estais em Roma". Escrevendo aos coríntios, ele disse que não abusou do poder que tinha em relação ao evangelho (1Cor 9:18), pelo fato de anunciar o evangelho, e viver do evangelho, antes, ele o anunciou de graça, a fim de não por nenhum impedimento ao evangelho. Ele se fez de servo mesmo sendo livre, para ganhar todos (v 19); se fez de judeu para ganhar aos judeus (v 20); para os que estavam sem lei, ele se fez como se estivesse sem lei (v 21); se fez de fraco para ganhar os fracos (v 22). Tudo isso por causa do evangelho (v 23). E no versículo 16 ele disse: "Porque, se anuncio o evangelho, não tenho o que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!"

Em Rom 1:1, Paulo disse que foi separado para o evangelho de Deus. Que possamos de fato estar sendo fiéis ao Senhor nesse sublime trabalho, que é o de evangelizar, a fim de que almas sejam salvas, e através destas, Cristo seja honrado e glorificado.

II. Considerar aos Irmãos

Enfatizaremos, novamente, a segunda carta de Paulo a Timóteo. No Capítulo 1 e versículo 8, Paulo disse a Timóteo: "Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim". Timóteo não deveria sentir vergonha do seu pai na fé, antes, deveria sofrer as aflições com o apóstolo, por causa do evangelho. Timóteo deveria estar considerando o seu irmão e conservo de Cristo. Ele fez questão de lembrar de seu irmão Onesíforo, o qual não se envergonhou de suas cadeias, e o qual o recreou, e o qual procurou com muito cuidado o apóstolo em Roma, e o quanto o ajudou em Éfeso (2Tim 1:16-18). Onesíforo foi ao contrário daqueles da Ásia que abandonaram a Paulo (1:15). Considerar um irmão é sofrer com ele nas suas aflições (2:3). No capítulo 1, versículo 2, Paulo chama Timóteo de "meu amado filho"; nos versículos 3 e 4, ele disse que fazia memória de Timóteo em suas orações de dia e de noite, e que desejava muito vê-lo. No capítulo 4, versículo 9, Paulo chama a Timóteo para ir ter com ele depressa, porque no versículo 10 ele diz que Demas o havia desamparado por amar o presente século. Talvez em Tessalônica tivesse muitas atrações que levaram Demas a desamparar seu irmão; talvez o dinheiro, ou outros bens materiais. A falta de amor leva uns a desamparar os outros, e o homem se torna egocêntrico (egoísta). Paulo disse a Timóteo que nos últimos tempos os homens seriam amantes de si mesmos (3:2). Lucas era um verdadeiro companheiro de Paulo que quase sempre estava perto dele. João Marcos, que outrora havia abandonado o Apóstolo (atos 13:13), dessa vez seria útil a Paulo. Quando lemos a carta que o Apóstolo escreveu a Filemom, vemos como este Filemom era um homem de amor. Paulo disse que ele ouviu do amor e da fé de Filemom a Jesus, e aos santos (v 5). Paulo foi consolado pelo amor de Filemom, e as entranhas dos santos foram recreadas pelo mesmo. Nessa carta também vemos falar de Onésimo, que significa "'útil" ou "proveitoso", mas ele era inútil outrora, pois ficou devendo a Filemom. O apóstolo queria que Filemom o recebesse como o próprio apóstolo, e também queria pagar a sua conta. Paulo sabia que Filemom o obedeceria, e ainda faria mais do que aquilo que foi dito da parte do apóstolo. Hebreus 10:24 diz: "E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às obras".

Que o Senhor nos ajude a viver em amor, e a considerarmos uns aos outros.

III. Considerar a Jesus Cristo

"Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor" (2ª Timóteo 1:8). Timóteo não tinha motivo nenhum para se envergonhar de dar testemunho do seu Senhor, pois este morreu em seu lugar, e o salvou, e o chamou com uma santa vocação, não segundo as suas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça (1:9). Ele deveria se apresentar diante de Deus como obreiro aprovado, que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (2ª Timóteo 2:15). Observe que, no versículo 8, Paulo o exorta a não se envergonhar "do testemunho de nosso Senhor", "nem de mim" (Paulo). Hoje, parece que muitos crentes tem vergonha de pronunciar o nome de Cristo, de falar que ele morreu para salvar os pecadores, e até mesmo de dizer que é um crente em Cristo. Estão dispostos a falar de muitas coisas seculares, e muitas vezes ilícitas, mas quando é para falar de Cristo, se tornam tímidos. Portanto, devemos estar dispostos a falar de Cristo com ousadia, pois Ele não nos deu um "espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação" (1:7). Ele deveria estar lembrando da ressurreição de Jesus Cristo (2:8), a fim de que fosse fiel no trabalho, como um "soldado de Cristo" (2:3). Nos versículos 11 a 13 do capítulo 2, Paulo disse a Timóteo que "se morrermos com ele, também com ele viveremos"; "se sofrermos, também com ele reinaremos"; "se o negarmos, também ele nos negará"; "se formos infiéis, ele permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo". Também devemos estar "amando a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo" como está escrito no capítulo 4 e versículo 8.

Agora vamos pensar um pouco no nosso segundo texto que usamos de introdução, a carta aos hebreus. No capítulo 12 e versículo 3, o escritor nos exorta a "considerar aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo, a fim de que não venhamos enfraquecer, e desfalecer em nossos ânimos".

Vivemos muitas vezes em grandes dificuldades, e muito sujeitos ao desânimo, pois, aquele que quer seguir a Cristo deve " tomar a cada dia a sua cruz" (Lucas 9:23), e quem quer viver piamente em Cristo, "padecerá perseguições" (2ª Timóteo 3:12). Não existe uma outra forma de enfrentar essas adversidades da vida, e ficar firme, se não estivermos considerando ao Senhor, pois Ele é o maior exemplo dos homens, em relação aos sofrimentos. Ele é Aquele que foi humilhado grandemente por pecadores, e não abriu a Sua boca, antes foi fiel até a morte, e morte de cruz.

Devemos considerar a Jesus Cristo, porque Ele "suportou a cruz", "e desprezou a afronta" (não levou em conta), e devemos estar "olhando" para Ele, que é o "autor e consumador da fé" (v 2.). Não podemos tirar nem sequer um minuto os nossos olhos de Cristo, e da sua cruz, pois Ele tem demonstrado grande amor, grande misericórdia e graça para conosco. Por isso, devemos viver em prol do seu testemunho, por amor dAquele que nos amou; por gratidão a Sua preciosa obra lá no calvário, e por Sua própria pessoa. Devemos viver não mais para nós mesmos, mas por Aquele que por nós morreu e ressuscitou, e sermos constrangidos pelo Seu amor, (2ª Coríntios 5:14 e 15). E, consequentemente, devemos "deixar todo o embaraço e todo o pecado, e correr a carreira que nos está proposta" (Heb 12:1). No capítulo 3 e versículo 1 de Hebreus, o escritor nos exorta a "considerar a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão". Ele é nosso apóstolo porque nos trouxe a mensagem diretamente de Deus, a fim de conhecermos e obedecermos a Sua vontade. Ele é sumo sacerdote, porque é "constituído a favor dos homens nas coisas concernentes a Deus, e porque oferece sacrifício pelos pecados" (Hebreus 5:1). Não com sangue de touro ou bodes, mas com Seu próprio sangue; não uma vez ao ano, mas com uma só oblação.

Conclusão

Que possamos, irmãos, considerar ao evangelho de Cristo "estando num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo ânimo pela fé do evangelho" (Fil 1:27). Que nos consideremos uns aos outros, não atentando para o que é propriamente nosso, mas aquilo que é do outro (Fil 2:4), "tendo cuidado uns dos outros" (1ª Cor 12:25), "suportando-nos uns aos outros em amor" (Ef 4:2).

Que possamos "considerar a Jesus Cristo" e a Sua obra que foi realizada em prol de cada um de nós. "Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração" (Mat 6:21). Amém.

Ronaldo Adriano da Silva (Fredy) - Curitiba (PR), 11 de julho de 2009.

 


Estudos Bíblicos