A verdade sobre o Natal

Qual a verdadeira data do "Natal"?

Jesus Cristo nasceu quando César Augusto decretou o primeiro recenseamento, sendo Cirénio presidente da Síria (Bíblia, S. Lucas. 2:1,2) - e segundo os elementos históricos existentes, tal terá ocorrido cerca do ano 4 a.C.. Lemos no Evangelho segundo S. Lucas 2:4, que Maria e o seu marido José, subiram a Belém para se recensearem e foi nessa cidade que Ele nasceu, cumprindo assim a profecia de Miq. 5:2.

Não se sabe o dia em que Jesus nasceu, mas certamente não ocorreu em 25 de Dezembro, uma vez que em Israel, e sobretudo de noite, a temperatura é muito baixa, sendo pois impossível que existissem pastores nos campos depois das chuvas de Outubro (cfr. Bíblia, Livro de Esdras 10:9-13; Cantares de Salomão 2:11), sabendo ainda que os pastores recolhiam os rebanhos das montanhas e dos campos e colocavam-nos no curral no mais tardar até o dia 15 de Outubro, para protegê-los do frio e da estação chuvosa que se seguia.

Ora, quando Jesus nasceu, os anjos anunciaram aos pastores a boa-nova (Lc. 2:8-12). Pela mesma razão, certamente que os recenseamentos não se realizavam no Inverno, uma vez que os caminhos eram longos e difíceis. Devemos notar ainda que os judeus eram um povo muito sensível. Se os romanos lhes impusessem uma obrigação, como o recenseamento durante o Inverno, certamente que toda a nação se revoltaria perante tal imposição.

Aliás, se analisarmos a Bíblia diligentemente, concluiremos que a concepção operada, segundo a Bíblia, pelo Espírito Santo em Maria deve ter-se dado no fim de Dezembro ou início de Janeiro, já que Zacarias, o sacerdote, era membro da ordem de Abias (S. Lucas 1:5). A ordem de sacerdotes de Abias era a oitava a servir no templo (1Crónicas. 24:10), servindo oito semanas depois da conclusão da páscoa. A concepção de João ocorreu nesta altura e só no sexto mês (S. Lucas 1:26) o anjo apareceu a Maria - ou seja, talvez no fim Dezembro ou Janeiro. Logo, Jesus terá nascido em Setembro ou, no máximo, em Outubro do ano 04 a.C..

QUEM ERAM OS «MAGOS» ?

Este é outro facto que cumpre desmistificar. Na tradição da religião Católica, os magos que visitaram Jesus eram três reis. Mas essa tradição parece não corresponder à realidade. A passagem bíblica de S. Mateus 2:1-12 só nos diz que eram Magos do Oriente. Podiam ser reis, governadores, magistrados ou conselheiros.

Além disso, a Bíblia também não nos diz o seu número. Eram certamente pelo menos dois, mas cremos que a passagem deixa transparecer que eram muitos mais e a sua comitiva enorme, já que "toda a Jerusalém se perturbou" com a sua chegada. Ora, é impossível uma cidade inteira se perturbar com a chegada de duas ou três pessoas somente.

Além disso, é igualmente mítico que os magos tivessem encontrado Jesus numa manjedoura. Os pastores, sim, encontraram-no, mas os magos do Oriente não vieram a Belém nos dias imediatos ao seu nascimento. A sua ida a Belém deve ter demorado alguns bons meses ou inclusive passando um ano, visto serem do Oriente e as viagens, na época, e sobretudo com a comitiva com que se faziam acompanhar, tornavam difícil a sua deslocação rápida. Aliás, é significativo que o rei Herodes mandou matar todos os meninos de Belém e seus arredores «de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos» ( Mateus 2:16). Se ordenou a morte das crianças de dois anos para baixo, tal significa que Jesus teria na altura aproximadamente essa idade, não seria ?

O VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL

O verdadeiro sentido do Natal resume-se num versículo do Evangelho segundo S. João, que passamos a transcrever: "Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho Unigénito, o Senhor Jesus Cristo, para que todo aquele que nEle crê, não se perca, mas tenha a vida eterna" (cap. III, versículo 16).

Que possamos compreender este verdadeiro sentido do Natal. Mais do que as festas, as prendas ou o ambiente, importa encontrar o Senhor Jesus Cristo, do Natal e da Cruz, em Pessoa. E isso obtém-se mediante a confissão dos seus pecados e arrepender-se junto a Ele em oração, crendo que Ele é o Único Mediador entre Deus e você e que é Suficiente para o perdoar de toda a injustiça, tornando-o assim filho de Deus.

Joel Pereira - Portugal

Fonte: Refrigério

 


Estudos Bíblicos