A importância da meditação na vida do crente

Adaptado de John Norris, Truth & Tidings, Maio de 1995

 

Lamentavelmente, muitos crentes têm conhecido pouco, ou nada, da arte da meditação na Palavra de Deus, enquanto outros que usavam passar muito tempo meditando nela têm quase, se não completamente, cessado de fazê-lo. Oh absoluto gozo de silenciosa meditação!

 

O significado da meditação na Palavra de Deus

Meditação significa pensar, pensar profunda e frequentemente por longo tempo. Entreter-se significa não pensar. Como Satanás usa os divertimentos do mundo para impedir pecadores de pensar em sua salvação e bem-estar eternos, assim ele usa os divertimentos do mundo para impedir alguns cristãos de meditar nas Escrituras, dessa forma impedindo seu aproveitamento de Cristo e as ricas bênçãos que eles têm n’Ele. Não é suficiente ler uma porção da Palavra agora e tornar a fazê-lo para aliviar a consciência. Portanto, para a arte da meditação, os Puritanos adotaram as seguintes regras:

1) Separe-se de outras coisas para pensar na Palavra.

2) ) Estabeleça um tempo determinado para fazê-lo.

3) Ponha seu coração em Cristo

4) Procure escrever algo que é de ajuda especial.

5) Fale a você mesmo e admoeste a si mesmo até que você sinta o fogo começar a queimar.

Enquanto o presente escritor não pretende, no momento, dar uma exaustiva explicação da Meditação Transcendental, ele deseja advertir cristãos dos perigos de tornar-se envolvido nesta prática religiosa, que é a forma do Hinduismo, presente na sociedade ocidental de tal maneira que engana os descuidados. Meditação bíblica, que é o assunto deste artigo, não é para ser igualada com Meditação Transcendental, pois elas são completamente opostas uma à outra.

Acerca do homem bem-aventurado do Salmo 1, é dito: “Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na Sua lei medita de dia e de noite” (A. G. Clarke diz: “A lei do Senhor aqui é praticamente sinônimo da Palavra do Senhor, toda a revelação divina”). Em primeiro lugar, ele se deleita na lei do Senhor, então ele medita nela. Meditação bíblica envolve o uso da mente no estudo da Palavra de Deus, “mastigando-a” , assimilando- a, e então agindo com base no que tem sido aprendido.

Considere as palavras do Senhor a Josué: “Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido”. Visto que Josué era um homem muito ocupado, preocupando- se com aproximadamente três a quatro milhões de pessoas, nós não deveríamos nos desculpar argumentando que nós não temos tempo para meditar na Palavra. Era para Josué meditar na lei, e então ser cuidadoso para fazer tudo que estava nela. Isto o tornaria próspero e bem-sucedido. Obediência é sempre controlada pela Palavra de Deus. Uma falta de meditação indica uma falta de apreciação pela Palavra. Meditação não deveria ser considerada um luxo ocasional, mas um exercício constante – um deleite, não um peso. Ela resultará em entendimento espiritual (Sl. 119:99) e conselho espiritual (Sl.119:15). Sem dúvida, é um importante meio de crescimento espiritual. Podemos meditar no que temos acabado de ler, ou podemos trazer à memória alguma coisa que nós já temos lido. Crentes jovens deveriam armazenar a Palavra de Deus em suas mentes, para que anos mais tarde eles possam ser capazes de recordar versículos para meditar neles, sendo a mente mais retentora na nossa juventude.

O Supremo Exemplo de Meditação na Palavra é o Senhor Jesus, em Quem o Salmo 1:1-3 é perfeitamente cumprido. Ele nunca andou no conselho dos ímpios, conhecendo apenas a comunhão e conselho de Deus. Ele nunca parou no caminho dos pecadores, mas sempre Se deleitou na vontade do Pai. Ele nunca Se sentou na roda dos escarnecedores, embora recebesse pecadores e comesse com eles. Sua mente era saturada com a Palavra do Senhor, e meditava nela dia e noite. Ele era sempre a árvore verde, frutífera, prosperando em tudo o que Ele fazia. Quanto mais o Salmo 1:1-3 for exemplificado em nossas vidas, mais semelhantes a Cristo nós seremos.

 

Os Assuntos  para meditação

Você meditará em Deus como você medita na Palavra. No Salmo 119, o salmista falou da Palavra em tudo, exceto em dois versos; ele se referiu à meditação sete vezes e se referiu a Deus em cada verso. Enquanto o salmista se deleitava na Palavra e meditava nela, pensamentos de Deus enchiam sua mente; assim será conosco.

Meditação na Palavra dirigirá nossos pensamentos ao Senhor Jesus, e na mais doce comunhão com o Senhor nós pensaremos em Sua Pessoa, caráter, obra, glórias e muito  mais, até que as nossas almas estejam ocupadas com Ele Mesmo e nossos corações se derramem em adoração a Ele. Lembre-se de meditar nas obras de Deus (leia Salmo143:5-6) . Talvez Davi pensasse acerca de Deus preservando- o quando ele matou o leão e o urso, ou quando ele matou Golias. Não pensava ele das grandezas da Criação e dos maravilhosos feitos de Deus em relação a Israel? Meditar nas obras de Deus fazia-lhe ter sede de Deus e orar a Ele. Assim, quanto a nós mesmos, ao invés de nos afligirmos acerca dos nossos problemas, deveríamos pensar nas grandes coisas que Deus tem feito por nós, como Deus tem nos salvado, disciplinado, guiado e preservado. Eu tenho temido coisas que nunca aconteceram e tenho frequentemente esquecido de agradecer a Deus pelas bênçãos recebidas. Não se esqueça de meditar (“pensar”, King James Version) nos lindos assuntos de Filipenses 4:8. Fazer isso nos fará perceber quão longe nós podemos chegar em pouco tempo. Nós deveríamos ver neste verso um retrato do Senhor Jesus. Se nossas mentes estão cheias destas coisas, não haverá lugar para pensamentos que desagradam ao Senhor.

 

“Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante Ti, Senhor” (Sl 19:14).

 

Claudinei Benedito Benedito - Matozinhos (MG).

 


Estudos Bíblicos